quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Largou a advocacia, vendeu aromas de porta em porta e agora fatura R$ 38 milhões

A advogada Mônica Burgos, 49, resolveu mudar de vida depois que se divorciou do marido. Saiu de um emprego fixo em um escritório de advocacia em Itabuna (BA) e, junto com seus três filhos, seguiu para o Rio de Janeiro para estudar moda, em março de 1999. Em uma das aulas, ela descobriu um mercado que, segundo o professor, era pouco explorado: o de marketing olfativo. 

Ao concluir o curso, dois anos depois, ela voltou para a sua cidade natal com a mala cheia de aromatizantes de ambientes, que comprou de uma empresa de Teresópolis (RJ), e começou a vender o produto de porta em porta em todo o comércio. “Na época, poucos estabelecimentos conheciam o marketing olfativo e eu falava para os empresários sobre a importância desse recurso sensorial de aromatização de loja para estreitar o vínculo com o cliente.” Oito meses depois do seu retorno, ela foi convidada pelo amigo e atual sócio, Cesar Fáver, para abrir a sua própria fábrica de aromatizantes. 

Em abril de 2002, nasceu a Avatim, em Salvador (BA), onde a empresária afirma que estava concentrada a maior parte da sua clientela. A aposta deu certo. No ano passado, ela faturou R$ 38 milhões, 31% a mais do que em 2014, quando chegou a R$ 29 milhões. Atualmente, a empresa tem 74 lojas espalhadas pelo país, 14 delas próprias, com previsão de fechar o ano com 100 unidades e um faturamento na ordem de R$ 50 milhões. 

“Estimamos este resultado positivo mesmo com a crise porque estamos abrindo novas lojas que nos darão sustentação para esse crescimento.” Além das lojas próprias e das franquias, a empresa também tem 2.000 revendedores comercializando os produtos de porta em porta. “Esse canal de vendas representa 27% do nosso faturamento.” No próximo ano a rede vai iniciar também a venda pela internet. 

Ela atende a consumidores finais e a empresas, como grandes de varejo e hotéis. Rede vende 380 produtos diferentes Hoje, além dos aromatizantes de ambiente, a Avatim também fabrica e comercializa produtos de higiene pessoal, como sabonete, esfoliante e hidratante corporal, sais de banho, entre outros. Ao todo são 380 itens diferentes. O sachê para gavetas é o mais barato, custa R$ 8. O mais caro é o difusor de essências Terra Madre, que sai por R$ 122. O aromatizante de ambiente mais barato sai por R$ 36. 

A empresa também produz fragrâncias de ambiente com fórmulas exclusivas para empresas interessadas em perfumar as suas lojas. Nesse caso, o custo é de R$ 2.000. Franquia custa a partir de R$ 80 mil A rede tem dois modelos de negócio. O slim (que são lojas de rua) exige um investimento inicial a partir de R$ 80 mil. O faturamento médio mensal é a partir de R$ 20 mil, e o lucro médio varia entre 12% e 20% (R$ 2.400 e R$ 4.000). 

Na loja conceito (abertas em shopping), o investimento inicial é a partir de R$ 200 mil, o faturamento médio mensal é a partir de R$ 45 mil, e o lucro médio mensal varia entre 12% e 20% (R$ 5.400 e R$ 9.000). Em ambas, o retorno do investimento vem em torno de 36 meses. Os dados foram fornecidos pela empresa. Burgos diz que o modelo de loja mais barato foi criado para driblar a crise. “Nosso foco são shoppings centers, mas começamos a investir também em lojas menores e de rua para superar a crise e estamos conseguindo bons resultados.” 

Exporta para Espanha e mira EUA Burgos afirma que exporta seus produtos para Madri (Espanha), e vai abrir uma loja nos EUA no ano que vem. “Em Madri, nós atuamos com a venda porta a porta.Tentamos esse formato nos EUA, mas o resultado não foi bom. Por isso decidimos abrir uma loja no Estado da Flórida.” Se escolher franquia, deve abandonar outros canais de venda Para Marcus Rizzo, diretor da consultoria Rizzo Franchise, se uma empresa optar pela expansão por meio de franquia, ela deve abolir os demais canais de venda. 

“Quando um empresário compra a unidade de uma franquia, ele investe um valor considerável para ter todo o acesso ao conhecimento do negócio e aos produtos dela. Se houver outros canais de vendas, ele sofrerá concorrência dentro da própria franquia, o que não é vantajoso e pode até frustrar o franqueado.” 

Onde encontrar:
UOL


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

# Compartilhar

Twitter Facebook Google Plus LinkedIn RSS Feed Email Pinterest

.

.
.

Transparência

Transparência
Pelo Bem do RN

Total de visualizações

Seguidores

Tenho anjos no céu.

Tenho anjos no céu.

Somente!

Somente!

Facebook

Estou no PENSADOR

Indique o nosso site!


Arquivo do blog

Copyright © Rosângela Cunha | Traduzido Por: Yago Design - Galera Na Mídia