quarta-feira, 21 de junho de 2017

Sim, dependência química é uma doença e dessa forma deve ser tratada. Por Tico Santa Cruz, via Facebook

Fiquei muito amigo do Fábio Assunção e da Pally Siqueira nestes últimos meses. Viajamos em família, com nossos filhos, amigos, pessoas próximas. Conversamos muito sobre diversas questões, políticas, sociais, comportamentais, sobre como o mundo anda carente de afeto, de tolerância, de carinho e de respeito.   

Fábio estava feliz com a produção desse documentário sobre a cultura de um Estado tão rico em arte como é Pernambuco.  Por várias vezes exaltou a cidade de Arcoverde, a simplicidade das pessoas, com um olhar de muito amor por aquele universo que estava conhecendo.  Pally, sua companheira, é nascida nesse município e conta histórias lindas de superação e esperança.  

Em nossos encontros trocamos por diversas vezes impressões e considerações sobre a questão das drogas. Sobre o quanto Fábio foi corajoso em expor sua doença publicamente e enfrentar as consequências dessa exposição.  Sim, dependência química é uma doença e dessa forma deve ser tratada. 

E ela não está relacionada apenas com drogas ilícitas, como muitas pessoas possam acreditar. Está altamente associada ao ÁLCOOL. Esse que é vendido indiscriminadamente em todos os lugares. Que é estimulado pelas propagandas de TV. Enfim... Que faz parte da vida e do convívio da grande maioria dos brasileiros.  

Dias atrás Fábio esteve na Cracolândia, em São Paulo, fazendo um trabalho e oferecendo atenção e afeto a pessoas doentes e que são invisíveis a sociedade.  Não sabemos exatamente o que aconteceu nesta madrugada, mas sob estado de álcool quantos de nós já não fizemos algo de errado? Quantos de nós já não perdemos o controle de alguma situação.  

A euforia provocada pela bebida, pode acabar se tornando muitos outros sentimentos. Quem pode julgar? Em tempos onde tudo é filmado, fotografado, exposto nas redes sociais, e os juízes da vida alheia, empoderados por suas convicções moralistas, começam a atirar para todos os lados opiniões e julgamentos, sem sequer saber o que se passou exatamente, deixo aqui meu abrigo.  

Não farei juízo de valores.  Ninguém está livre de passar por algo desse tipo.  Esse é um relato de solidariedade.  Lamento que tenha acontecido e aos demais envolvidos. Mas acima de tudo, ressalto que esse homem tem um coração gigante.   Por fim, quero dizer que isso aconteceu com o Fábio que é meu amigo, mas poderia ter acontecido com outra pessoa qualquer, repito, não cabe a NÓS julgar.  

De mim terá o apoio que precisa, porque sei que em tempos como esses sempre é mais fácil atacar do que acolher.   E peço aqueles que ainda tem um coração, que respeitem esse momento.  Em momento algum minimizo o erro. Apenas acredito que tenhamos de ter cuidado.   Fábio e Pally, sabem que podem contar comigo e com minha família! Por Tico Santa Cruz, via Facebook 
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

# Compartilhar

Twitter Facebook Google Plus LinkedIn RSS Feed Email Pinterest

.

.
.

Transparência

Total de visualizações

Seguidores

Tenho anjos no céu.

Tenho anjos no céu.

Somente!

Somente!

Facebook

Estou no PENSADOR

Indique o nosso site!


Arquivo do blog

Copyright © Rosângela Cunha | Traduzido Por: Yago Design - Galera Na Mídia