quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Carlos Alves fez vista grossa para dívida de R$ 74 mi, acusa Robinson

O governador Robinson Faria, candidato à reeleição pelo PSD, denunciou em seu programa eleitoral na TV que a Prefeitura do Natal deixou de cobrar – durante a gestão do ex-prefeito Carlos Eduardo Alves, hoje candidato a governador pelo PDT – quase R$ 74 milhões de empresas que operam o sistema de transporte público municipal. 

As informações vêm à tona em meio a uma investigação do Ministério Público Estadual que envolve Carlos Alves e Agnelo Cândido, presidente do Seturn, sindicato que representa as empresas. O órgão apura se o ex-prefeito de Natal teria acertado com o empresário o recebimento de propina para avalizar o reajuste de 8,96% nas tarifas de transporte, concedido em maio. 

A investigação está sob sigilo.  De acordo com dados apresentados pela propaganda de Robinson, a empresa Nossa Senhora da Conceição é a que tem o maior débito: R$ 29,9 milhões. A segunda é a Transflor, cuja dívida ultrapassa os R$ 18 milhões. Já os débitos da Reunidas e da Santa Maria somam, juntos, mais de R$ 25,7 milhões. 

Os dados, segundo o programa eleitoral, foram obtidos junto à Secretaria Municipal de Tributação (Semut). Todos os débitos estão inscritos em Dívida Ativa. O programa de Robinson, veiculado na segunda-feira, 24, questionou o motivo pelo qual os valores não foram cobrados pela gestão de Carlos Alves na Prefeitura do Natal. 

E apontou também que, não bastasse isso, a administração autorizou reajuste nas passagens.  Reportagem do Agora RN do último dia 13 mostrou que o reajuste beneficiou as empresas de ônibus da capital. Autorizado em maio, o aumento provocou um aumento de 4,5% na arrecadação de junho das seis empresas que operam em Natal. 

No primeiro mês em que o novo valor das passagens (R$ 3,65) vigorou durante 30 dias, as empresas recolheram quase R$ 18,9 milhões, contra R$ 18,06 milhões em abril – quando as passagens ainda custavam R$ 3,35.  Essas informações estão na plataforma Dados Abertos, da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU). O portal mostra que, após o reajuste de maio, as empresas têm obtido ganho na arrecadação.

Em julho, último mês em que os dados estão disponíveis, a receita ultrapassou a marca dos R$ 19 milhões.  E o valor arrecadado com passagens nos meses de junho e julho poderia até ser maior, não fossem as férias escolares.

Fonte: AGORA RN
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

# Compartilhar

Twitter Facebook Google Plus LinkedIn RSS Feed Email Pinterest

Jegue Folia


Seguidores

Copyright © Rosângela Cunha | Traduzido Por: Yago Design - Galera Na Mídia