sexta-feira, 3 de abril de 2020

Em coletiva, Governo esclarece ações de combate à COVID-19 no RN

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), está prosseguindo com as ações de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus (Covid-19) no Rio Grande do Norte. As medidas já aplicadas e o planejamento para as próximas semanas foram detalhados pelos dirigentes da Sesap em coletiva realizada nesta sexta-feira (3). As informações sobre o trabalho do Governo e da Sesap deverão ser passadas diariamente à população potiguar, por meio de transmissões ao vivo nas redes sociais e/ou coletivas de imprensa.

O secretário titular da Sesap, Cipriano Maia, destacou que a execução do planejamento estipulado pelo Governo por meio do plano de contingência, que começou a ser confeccionado em janeiro, segue dentro do esperado. São ações como a compra de R$ 2,1 milhões em equipamentos hospitalares que foi homologada nesta sexta-feira, assim como a convocação de mais de 100 profissionais de saúde e abertura de processo seletivo para contratação temporária de mais 888 pessoas, ambas realizadas durante esta semana. 
"Todos são cientes que nenhum sistema de saúde do mundo está preparado para enfrentar essa situação. Estamos trabalhando primeiro com a expansão dos leitos em serviços públicos, com chamadas de profissionais e aquisição de insumos e equipamentos. No Hospital Giselda Trigueiro já temos leitos funcionando, em Mossoró os leitos serão ativados neste fim de semana, além dos hospitais da Polícia Militar e João Machado que também terão leitos extras. Expandimos também contratos com as cooperativas médicas", relatou o gestor, que esteve acompanhado do secretário-adjunto Petrônio Spinelli e da subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica, Alessandra Lucchesi.
Maia também ressaltou que o Governo vem articulando com as prefeituras e o setor privado a ampliação da rede de assistência para combater a pandemia. "O nosso plano de contingência leva em conta as prefeituras, podendo chegar a 600 leitos no caso da aplicação máxima prevista, somando UTI's, semi-intensivo e de observação. Estamos trabalhando com todas as possibilidades, inclusive em um esforço junto à iniciativa privada para recuperar, em todos os hospitais, respiradores que estavam fora de atividade. Já conseguimos um conjunto de equipamentos que estão viabilizando a abertura de alguns leitos nos próximos dias e semanas. Reunimos entidades médicas, entidades sindicais, hospitais privados, para trabalhar em regime de parceria, que é o que exige o momento", comentou o secretário. 
Ele ainda lembrou a necessidade de manter o isolamento social como medida primordial para contenção da Covid-19. "O Governo do Estado tem feito todos os esforços para mobilizar a sociedade e evitar a propagação da doença, os decretos têm expressado isso. Estamos crescendo para o pico da epidemia no estado. Isso exige radicalização de todas as medidas de isolamento e distanciamento social", disse. "Quem mais pode fazer para diminuir o drama da epidemia são as pessoas, a sociedade cumprindo as medidas de contenção social", completou o secretário-adjunto Petrônio Spinelli. 
ARENA
O secretário ainda esclareceu a necessidade de implantação do hospital de campanha, previsto para ter 100 leitos, sendo 53 de UTI. Cipriano explicou que o processo para a contratação de uma entidade, que ficará responsável por toda a instalação da infraestrutura física na Arena das Dunas e contratação de pessoal, está sendo feito de forma totalmente transparente, pontuando ainda que outros estados fizeram contratação direta, diferente da abertura de edital realizada no RN. "Na velocidade de crescimento da demanda por leitos de terapia intensiva não teríamos essa condição de fazer a estrutura em tão curto prazo. O chamamento foi para entidades que possam assumir a gestão de leitos em caráter acelerado, que tenham respiradores, equipamentos. Seria muito bom que instituições locais pudessem participar", afirmou.
O secretário-adjunto também ressaltou que o momento dificulta o processo de contratação por conta da alta demanda. "Estamos em um momento de epidemia e, consequentemente, o uso de equipamento e de pessoal está sendo muito disputado. Não está fácil conseguir. E o hospital de campanha também não tem o mesmo desenho de um hospital normal", concluiu Spinelli, lembrando ainda que a comparação de valores com outros estados, como São Paulo, por exemplo, precisa levar em conta a proximidade do local com as fontes de insumos, equipamentos e oferta de pessoal disponível.
A chamada pública lançada pelo Governo para a contratação de uma entidade filantrópica ou privada que instale e faça a gerência de 100 leitos na Arena das Dunas pelos próximos seis meses estima um investimento de R$ 37,1 milhões. "Este valor é apenas uma previsão, que não quer dizer que vamos aplicar todo esse preço, pois depende das propostas apresentadas. A maioria dos estados nem lançou edital, contratou direto. É preciso entender esse momento", explica Cipriano Maia. A previsão é de que a chamada pública seja encerrada ainda nesta sexta-feira.
CASOS
O Ministério da Saúde confirmou na quinta-feira (2) que o primeiro caso de morte pela Covid-19 no Brasil aconteceu em 23 de janeiro, em Minas Gerais. Até então, o primeiro caso foi notificado no país em 26 de fevereiro. Com relação a este novo dado, a Sesap fará uma investigação mais ampla dos casos no RN. O escopo do trabalho será definido na próxima segunda-feira (6). "Vamos investigar todos os óbitos de ocorrência de pneumonia e também relacionados à sepse (infecção generalizada), assim como todo e qualquer óbito com causa básica mal definida", disse a subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica, Alessandra Lucchesi.

Fotos: Elisa Elsie

Nenhum comentário

Postar um comentário

Desenvolvido Por: Editado Por: :

imagem-logo