quarta-feira, 29 de setembro de 2021

Obra do Hospital da Mulher recebe vistoria do Governo

A construção da maior unidade de Saúde do Rio Grande do Norte, o Hospital da Mulher Parteira Maria Correia, foi vistoriada pela governadora Fátima Bezerra nesta quarta-feira (29), durante o período de instalação da sede do Governo Estadual para Mossoró. As obras estão 33% executadas e, ao final do serviço, previsto para o segundo semestre de 2022, o Poder Executivo Estadual terá investido cerca de R$ 110 milhões em recursos estaduais para obras e equipamentos, por meio do Projeto Governo Cidadão junto ao empréstimo com o Banco Mundial.

 

“Essa é uma das obras mais importantes do nosso governo; é o nosso maior investimento por meio do Governo Cidadão e vai atender toda a região Oeste”, explicou a governadora. “E, detalhe: servirá de campo de estágio para formação do pessoal da Saúde, em parceria com a UERN e outras instituições”, completou a gestora estadual, ao lado do vice-governador Antenor Roberto e da reitora recém-empossada da Uern, Cicília Maia.

 

Na ocasião, o vice-prefeito de Mossoró, Fernandinho, agradeceu “pelo empenho em tornar essa obra real. Um equipamento que trará saúde de qualidade para Mossoró e região”. Atualmente, entre os mais de 30 serviços em execução, estão sendo realizados a regularização de contrapiso, fabricação e instalação de dutos de climatização e de tubulações de gases medicinais.

 

Compra de equipamentos

 

Paralelamente à obra física, estão em andamento as aquisições de equipamentos. “Uma já foi realizada, no valor de R$ 4 milhões, para grandes equipamentos. Até dia 15 de outubro, haverá outra etapa de licitações no valor de R$ 20 milhões para a qual faremos uma consulta pública para dar transparência ao processo e incentivar empresas a participarem, pois os recursos estão garantidos. Inclusive empresas da região podem participar, o que ajuda a aquecer a nossa economia”, disse o secretário de Gestão de Projetos e Metas e coordenador do Governo Cidadão, Fernando Mineiro.

 

No total, há cerca de 15 processos licitatórios previstos somando o valor estimado em mais de R$ 40 milhões para aquisição de equipamentos médicos, instrumentais cirúrgicos, mobiliários hospitalares, corporativos e sob medida, equipamentos de TI, ambulâncias e veículos, entre diversos outros itens necessários ao funcionamento de um hospital desse porte.

 

Transparência

 

Semanalmente, um relatório da obra é emitido para o coordenador do Governo Cidadão para garantir o cumprimento do cronograma. “E hoje estamos lançando uma ferramenta para que a sociedade possa acompanhar a evolução da obra online, no site do Governo Cidadão, o que garante ainda mais transparência”, acrescentou Mineiro. Os dados podem ser acessados no www.governocidadao.rn.gov.br.

 

Sobre o Hospital

 

A primeira ordem de serviço da unidade de saúde foi assinada em 29 de dezembro de 2017 mas um ano depois, em dezembro de 2018, apenas 23,26% das obras haviam sido executadas. A retomada da obra, em abril de 2021, só foi possível após força-tarefa de técnicos do Governo Cidadão, do Banco Mundial, da Secretaria estadual de Saúde Pública (Sesap) e da Prefeitura de Mossoró, com acompanhamento permanente pelo Ministério Públicos junto ao Tribunal de Contas do Estado, para resolver entraves como a falta de um projeto de drenagem adequado para o local. A obra está sendo erguida em uma região em franca expansão em Mossoró, em um terreno cedido pela Universidade do Estado do RN (UERN).

 

O local atenderá pacientes de mais de 60 municípios e a expectativa é de 20 mil atendimentos/ano. Estarão disponíveis 163 leitos (118 de internação e 45 para outros serviços, como urgências) e a unidade terá assistência ambulatorial, pronto-socorro, UTI, salas de parto humanizado, banco de leite humano e serviços de suporte às mulheres vítimas de violência.

 

O modelo de gestão do hospital foi debatido em julho em audiência pública na Câmara Municipal de Mossoró, para ampliar a participação da sociedade na formatação do equipamento. A Carta de Serviços da unidade está sendo finalizada por um Grupo de Trabalho formado por técnicos do Governo Cidadão e da Sesap com a colaboração de universidades parceiras, sobretudo as da região: Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa), UERN e Universidade Federal do RN (UFRN). Para Lyane Ramalho, secretária-adjunta da Sesap, “uma das grandes vantagens do hospital é que ele vai mudar as políticas públicas de atenção à mulher”.

 

A área da Saúde concentra a maior parte dos recursos do Governo do RN viabilizados pelo acordo de empréstimo com o Banco Mundial. No total, são mais de R$ 130 milhões a serem executados até dezembro de 2022 que contemplam, principalmente, a construção do Hospital da Mulher.

 

Além dos já citados, estiveram presentes à vistoria os secretários estaduais Julia Arruda (SEMJIDH), Aexandre Lima (Sedraf), Socorro Batista (Adjunta do GAC) e Flauber Torquato (Adjunto da Seplan); os diretores Manoel Marques (DER), César Oliveira (Emater) e Crispiniano Neto (FJA); a gerente da II Ursap, Emiliana Bezerra Cavalcanti; os deputados estaduais Isolda Dantas e Bernardo Amorim; os vereadores mossoroenses Marleide Cunha, Larissa Rosado e Paulo Igor. O vice-reitor da Uern, Chico Dantas, e a ex-prefeita de Mossoró e atual diretora geral do Laboratório Central (Latem), Fafá Rosado, também participaram da vistoria.


Nenhum comentário

Postar um comentário

Desenvolvido Por: Editado Por: :

imagem-logo